quarta-feira, 8 de Setembro de 2010

ANIMAL 17 de Setembro - Faça Parte da Mudança

http://www.youtube.com/watch?v=F9xYyZ_sPYg

terça-feira, 31 de Agosto de 2010

Quinta-Feira, dia 2, NÃO FALTE ao penúltimo protesto da época tauromáquica do Campo Pequeno

Na próxima quinta-feira, terá lugar no Campo Pequeno a “Corrida Nova Gente”, que será a penúltima tourada da época tauromáquica da “Catedral dos Horrores”.

Por favor traga apitos, buzinas, ou quaisquer outros utensílios ruidosos, e venha protestar com a ANIMAL.


 
“Não precisamos de participar em acções gigantes e heróicas para fazermos parte do processo de mudança.
Pequenas acções, quando multiplicadas por milhões de pessoas, podem transformar o mundo.” ~ Howard Zinn


quinta-feira, 26 de Agosto de 2010

Por favor, Envie a Sua Mensagem de Protesto Contra a “1.ª Corrida de Touros em Monchique”


A indústria tauromáquica continua desesperadamente a tentar salvar a sua iminente queda, socorrendo-se de todo o tipo de artimanhas que consegue. A tentativa desta indústria de levar as touradas a locais onde estas nunca aconteceram, não é apenas feita em Portugal; é geral. Ao aumentarem o número de eventos tauromáquicos, enganam as pessoas, dizendo que cada vez há mais gente a frequentá-los, quando, na verdade, o público é tão itinerante quanto o espectáculo, e, salvo raras excepções em terras onde nada mais acontece, o interesse dos locais é pouco significativo. Desta feita, o concelho “visado” é Monchique, um concelho algarvio que não tem qualquer tradição tauromáquica, e para onde está marcada, para o próximo dia 12 de Setembro, a “1.ª Corrida de Touros em Monchique”, e que (espantemo-nos) é de carácter beneficente a favor dos Bombeiros Voluntários de Monchique.

É escandaloso que, mais uma vez, se chame beneficente a um evento que nada mais é do que maleficente. Por favor mostre a sua indignação perante a Câmara Municipal de Monchique e os Bombeiros Voluntários de Monchique da seguinte forma:

Por favor, envie a mensagem abaixo sugerida – ou escreva e envie a sua mensagem, se preferir – para:

Mensagem Sugerida:

Exm.º Senhor Presidente da Câmara Municipal de Monchique

Exmo. Senhor Comandante dos Bombeiros Voluntários de Monchique,


Foi com profunda indignação que tomei conhecimento da “1.ª Tourada de Monchique”, e de como esta é apelidada de beneficente.

A tauromaquia é uma actividade bárbara, que em nada beneficia os animais que nela são intervenientes, e que envergonha Portugal, um país que continua a ser refém das constantes tentativas da indústria tauromáquica para manter o país na Idade Média no que se refere à maneira como os animais são aqui vistos e tratados. Só num país por civilizar e por desenvolver é que se admite que animais sejam perseguidos, torturados e mutilados em nome do entretenimento. Só numa sociedade fechada e obtusa é que se aceita o perigoso pretexto da tradição como razão para tudo – incluindo para o que é péssimo, cruel e sanguinário. E, só num país parado no tempo, se pode admitir que sejam torturados animais, e que se lhe chame beneficência.

Portugal já não é assim e a maioria absoluta da sociedade portuguesa afirma-se, hoje, contrária aos valores invertidos da obscena cultura de violência que a tauromaquia representa. Monchique deve continuar a evoluir no sentido positivo - como aliás, tem feito – e, deve sim, ajudar os seus "Soldados da Paz", apoiando iniciativas de angariação de fundos que não impliquem o sofrimento de ninguém

Os portugueses querem que Portugal seja um país evoluído e progressista onde os animais são bem tratados, são protegidos e são respeitados. Eu conto-me, da forma mais convicta que me é possível, entre esses portugueses e repudio absolutamente iniciativas como a que V. Exas. pretendem levar a cabo em Monchique, e que fazem com que o desenvolvimento social, cultural e moral de Portugal fique atrasado e seja impedido por exercícios de incivilidade..

Peço a V. Exas. que, tendo em conta o acima exposto, se dignem proceder a diligências no sentido de cancelar a referida tourada. Relembro a V. Exa. as palavras do Dr. Defensor Moura, deputado à Assembleia da República e ex. autarca da cidade de Viana do Castelo, aquando da sua corajosa declaração de Viana do Castelo como 1.ª “Cidade Anti-Touradas” de Portugal: “Esta foi a medida mais popular que alguma vez tomámos em Viana do Castelo. Tenho recebido cartas e mensagens de felicitação de todas as partes do mundo.”

Com a certeza de que V. Exas. revirão a V. posição e tomarão a decisão mais justa e acertada, despeço-me,

Com os melhores cumprimentos,

Nome:
Cidade:
E-mail:

terça-feira, 24 de Agosto de 2010

Quinta-Feira, dia 26 de Agosto, a partir das 20h, no Campo Pequeno


Não Falte a mais Este Protesto contra as Touradas e Pelos Direitos dos Touros e Cavalos

Devido a um jogo de futebol dessa equipa, a “Corrida de Touros do Sporting” marcada para esta quinta-feira foi cancelada, passando a “tourada de despedida do matador José Luís Gonçalves” a substituí-la. Assim, vimos pedir às/aos activistas que ficaram de trazer itens alusivos ao Sporting, que ignorem esse nosso anterior pedido.


Por Favor Venha Vestido de Preto (ou o mais escuro que puder)

O protesto desta semana será silencioso e sob a forma de vigília.


“ Devemos lembrar-nos de que uma pessoa determinada pode fazer uma diferença significativa, e de que um pequeno grupo de pessoas determinadas pode mudar o curso da História.” ~ ~ Sonia Johnson










quarta-feira, 18 de Agosto de 2010

Breve mas Imperativo Esclarecimento da Associação ANIMAL‏


Caras/os Activistas,

A comunicação que ora vos dirigimos, e que, confessamos, preferíamos encontrá-la como desnecessária, prende-se apenas com uma questão de honestidade, que cremos dever-vos, não tendo qualquer intenção de fomentar guerras entre instituições e/ou pessoas. Sabemos que seremos acusados disso, mas mais importante do que querermos manter-nos livres de acusações é sermos abertos e honestos para com quem nos tem apoiado ao longo dos anos.

No passado dia 28 de Julho assistimos a um passo muito importante na Defesa dos Direitos dos Animais: o Parlamento da Catalunha proibiu as touradas. Nesse mesmo dia, a ANIMAL anunciou que, em Setembro próximo, lançaria uma inédita campanha pela abolição da tauromaquia em Portugal, que, incluiria, entre outras actividades, uma recolha de assinaturas (os moldes da campanha seriam anunciados em Setembro). Era portanto, do conhecimento geral, que a referida campanha estaria em preparação, tendo até esta sido divulgada pelos media, nas redes sociais, no Blog da ANIMAL, e ainda nos protestos semanais em frente ao Campo Pequeno.

Na segunda-feira de manhã, chegou um e-mail à ANIMAL, vindo da parte da Comissão Coordenadora do Projecto para um Partido Pelos Animais (PPA), a informar-nos do lançamento de uma petição para a abolição das touradas…e, como seria natural, ficámos sem perceber porque é que tal sucedia, se já havia o anúncio de uma actividade semelhante. Assim, e com vista a esclarecer a dúvida, a ANIMAL entrou em contacto com o representante da referida Comissão, que, mais surpreendentemente ainda, veio a informar esta Associação de que era verdade que sabiam que a ANIMAL tinha feito esse anúncio há semanas atrás, e que, ainda assim, decidiram avançar, duplicando esse trabalho, apenas porque a ANIMAL “pensa que é a dona da causa animal em Portugal”. Foi, portanto, deliberado, e agora assumido, este acto que somente conseguimos apelidar como de má-fé. Não entendemos porque é que, ao verem tornada pública esta notícia não se dirigiram à ANIMAL dizendo que queriam fazer algo semelhante, que estariam a pensar nisso, ou até mesmo que o iriam fazer…Isso seria o expectável, mas não aconteceu.

Resumindo, age-se de forma desonesta, passando por cima do anúncio de um projecto que já estava em preparação, deitando a perder todos os recursos que foram em si investidos, apenas porque “não se gosta” da Associação que os anunciou. Afinal…esta luta é contra a tauromaquia ou contra a ANIMAL?

As/os activistas não devem, em nosso entender, ser tratados como pouco inteligentes, e devem, antes de mais, ser respeitados e não serem enganados. A ANIMAL tem provado ao longo dos seus 16 anos de existência que, *o único objectivo*, repetimos, *único*, que persegue é a defesa dos animais.

Não é sério nem decente agir da forma acima descrita, e cremos que qualquer pessoa pode entender isto; basta colocar-se na mesma situação.

Esta comunicação pretende ser apenas uma chamada de atenção para a falta de respeito e honestidade para com o trabalho da ANIMAL, ou seja, falta de respeito pelos sócios e activistas que apoiam o trabalho desta organização, e, mais grave ainda, falta de respeito pelos animais que estes defendem. Infelizmente, a boa intenção nem sempre chega, e cabe às/aos activistas escolherem se querem ver um pouco além do óbvio ou não.

A ANIMAL nunca fez em público qualquer menção negativa a outro grupo, nomeadamente ao PPA. Infelizmente, o mesmo tratamento não recebemos, e quando perguntámos para quê dizer em plena antena aberta de televisão “esses do Campo Pequeno são os da ANIMAL, não são os do PPA” (comportamento que a ANIMAL nunca teve, embora seja apelidada de separatista), a resposta que obtivemos foi “é preciso demarcarmo-nos da ANIMAL”. Quem é separatista, afinal?

A ANIMAL comunica sempre que todos os grupos são bem-vindos a juntarem-se aos protestos, desde que concordem com os objectivos destes e que não tragam cartazes ofensivos e desde que ajam em conformidade com o que a ANIMAL defende, incluindo o PPA, que, felizmente, tem sempre representantes nos protestos da ANIMAL, e que leva os seus cartazes, tal como a AVP leva, ou o CREA levam, mas não entendemos porque é que participam se depois “querem demarcar-se da ANIMAL”. A ANIMAL participa, sempre que pode e deve, em acções de outros grupos (quer nacionais, como a POB, o CREA ou a AVP, quer internacionais), e nunca, até hoje, se imiscuiu na organização desses. Respeitamos o espaço de quem organiza e sabemos estar no nosso lugar, de acordo com as situações, e é também por isso que nos temos mantido activos ao longo de tantos anos. Se quisessemos o protagonismo (???) de que nos acusam, iriamos para os protestos dos outros fazer discursos, ou dizer “se vieram com a ANIMAL, venham para aqui”. As/os activistas lembrar-se-ão se quiserem ser justas/os se alguma vez viram este tipo de comportamento por parte desta Organização.

Apesar deste lamentável e muito triste evento (completamente desnecessário, se tivesse havido boa-fé), a ANIMAL seguirá com os planos que preparou, e espera, sinceramente, que tudo corra pelo melhor para os animais, e que não se dupliquem esforços sem necessidade. Se a ANIMAL se regesse por interesses pessoais, o que faria para evitar polémicas e aborrecimentos, seria desistir desta campanha e dedicar-se-ia a todo o restante trabalho que tem em mãos, e que não é pouco. Esse seria o caminho fácil e que traria menos “falatório”, mas, infelizmente, os animais não têm culpa nenhuma dos disparates que se cometem em nome da sua defesa (onde parece que tudo vale), e, por acreditarmos que o nosso contributo e “know-how” poderão ajudá-los mais do que demagogias e simpatias, que, em rigor, servem de pouco aos animais, mas de muito aos humanos, continuaremos. Caberá às/aos activistas avaliar e recordar o que foi dito e feito, e agirem em conformidade. Esta comunicação da ANIMAL pretende apenas expôr os factos sem torná-los pessoais. O trabalho que fazemos é pelos animais, pois se fosse pessoal, preocupar-nos-íamos em angariar simpatia e esta comunicação nunca teria sido escrita.

Pelos Animais,

Rita Silva
Presidente da Direcção



sábado, 14 de Agosto de 2010

“Rodeio Brasileiro” Impedido Judicialmente Pela ANIMAL


Tendo tomado conhecimento de que estaria marcado para o dia de hoje um “Rodeio Brasileiro” a ter lugar na Aldeia da Ponte, concelho do Sabugal, e faltando ainda na altura algumas semanas para o referido acontecer, a ANIMAL avançou com um Procedimento Cautelar para impedi-lo.


As festas da Aldeia da Ponte, em plena zona raiana, são, desde sempre, palco de violência contra animais, sendo que aquela é uma zona altamente tauromáquica. Infelizmente, do ponto de vista prático nada podemos fazer contra esses eventos, dado que estão perfeitamente regulamentados por lei. Contudo, o tipo de evento anunciado – o “rodeo” ou “rodeio ” -, não se enquadra, em nosso entender (e, felizmente, de alguns técnicos), no ordenamento jurídico nacional.

Sendo que já é suficientemente mau Portugal ser um país onde se considera arte o acto de seviciar animais, consideramos que, esses mesmos animais não precisam que se importem ainda mais “formas de arte”, que, inclusive, estão a ser proibidas já nos seus países de origem. Portugal não deve ser um refúgio para actividades que são consideradas aberrantes e primitivas nos seus países de origem. Infelizmente, há muito com que lidar neste país no que diz respeito à (des) protecção dos animais, por isso, vemos como fundamental que nada mais se invente ou se importe para acrescentar ao que já de tão mau existe, e que tão difícil é de travar. Assim, a ANIMAL avançou com uma Providência Cautelar para impedir, nos termos da Lei, que o supra-citado “Rodeio” se viesse a realizar. Ontem, e depois de muitas horas de espera e ansiedade, foi, por fim, dado provimento a este pedido, e, assim, decretada a proibição da realização do “Rodeio”.

Tendo em consideração alguns episódios do passado, em que as autoridades policiais não fizeram cumprir o disposto em sentenças judiciais, foram efectuadas todas as diligências possíveis para que tal não viesse a suceder neste caso, tendo sido, ainda na noite de ontem, notificadas pelo Comando Distrital da GNR da Guarda, todas as entidades intervenientes no dito espectáculo, e foram, já hoje, desmontadas as estruturas onde este se iria realizar.

“(…)Não existe qualquer possibilidade de se traduzir em dinheiro o direito dos animais inscrito em diploma legal vigente no nosso ordenamento jurídico(…)”, refere o Juiz que proferiu a decisão.

A decisão judicial de ontem vem dar mais uma “estocada” na tauromaquia em Portugal. É sabido que a indústria tauromáquica tem uma estreita ligação com a organização de eventos onde se utilizam touros e cavalos (rodeios, por exemplo), dado que os fornece, obtendo assim proveito económico à custa de *mais uma* actividade moralmente criminosa. Pela parte da ANIMAL, a luta pelo que é certo e razoável continuará, e esta organização fará tudo o que estiver ao seu alcance para que o fim da brutalidade institucionalizada e regulamentada esteja para breve,

A ANIMAL agradece a todas/os as/os que tornaram esta acção judicial possível, e sem as/os quais não teria sido possível impedir que vários touros e cavalos fossem brutalizados.





segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

Quinta-Feira, dia 12, a Partir das 20h, Venha ao Campo Pequeno Protestar Contra Mais uma Tourada


Se puder venha vestida/o de amarelo, ou, pelo menos, traga uma peça amarela. Uma das superstições mais antigas dos toureiros é que o amarelo lhes traz má sorte; chamam-lhe "a cor da fome".

NÃO FALTE!

Se não puder ficar durante todo o tempo da manifestação, fique o tempo que puder. A sua presença conta!



domingo, 1 de Agosto de 2010

Quinta-Feira, dia 5 de Agosto, a partir das 20h, no Campo Pequeno

Não Falte a mais Este Protesto contra as Touradas e Pelos Direitos dos Animais

Depois de, numa decisão histórica do Parlamento da Catalunha, as touradas terem sido proibidas nessa região (com efeito a partir de 2012), muitas têm sido as manifestações de apoio a esta proibição, quer em Espanha, quer noutros países que ainda mantém esta vil prática, e muitas também são as iniciativas legislativas que se estão agora a tentar implementar noutras regiões de Espanha, e em França. A ANIMAL não será excepção, e dedicará o protesto da próxima quinta-feira à vitória na Catalunha.

Se quiser fazer parte da encenação que a ANIMAL está a preparar para este protesto, queira, por favor, contactar-nos para campanhas@animal.org.pt , para que lhe possamos dar todas as indicações necessárias.

Em breve receberá uma nota informativa da ANIMAL acerca da nossa próxima campanha pelo fim das touradas em Portugal, e que vem no seguimento da decisão na Catalunha.



sexta-feira, 16 de Julho de 2010

Sábado, dia 24 de Julho, às 20h, em Frente à Praça de touros de Caldas da Rainha


Este Será um Protesto Silencioso

Pedimos Às/Aos Activistas que Venham Vestidos de Preto (ou escuro, caso não tenham roupa preta)

Conforme está publicitado há algumas semanas em alguns sítios da Internet, incluindo o sítio oficial do CDS/PP, está marcada uma Tourada com a chancela deste Partido Político, para o próximo dia 24 de Julho, na Praça de Touros de Caldas da Rainha. Aquando do primeiro anúncio deste evento, a ANIMAL iniciou um contacto com o Grupo Parlamentar do CDS/PP, a fim de perceber se o referido anúncio era verdadeiro, e, a sê-lo, envidar todos os esforços para que este não se viesse a realizar. Depois de perceber que, por muito boa vontade que quem de dentro do Grupo Parlamentar do Partido se opõe a este evento tivesse, não tinha poder para impedi-lo, a ANIMAL decidiu, assim, tornar o protesto público. Há muito que é sabido que o Presidente do CDS/PP, Dr. Paulo Portas, é aficionado das touradas, contudo, o seu mórbido gosto pessoal não deve, de forma alguma, tornar-se *do* Partido que dirige. O CDS/PP está a mostrar aos cidadãos que não se importa de sujar as suas mãos com sangue de inocentes, ainda que isso lhe possa custar alguns milhares de votos.

A ANIMAL conta com a sua presença neste dia, e pede-lhe que traga também outras/os amigas/os dos animais. A sua presença é insubstituível. Pelos animais, não esqueça isto.







segunda-feira, 12 de Julho de 2010

QUINTA-FEIRA, DIA 15 DE JULHO, A PARTIR DAS 20H, NO CAMPO PEQUENO, EM LISBOA


POR FAVOR TRAGA UTENSÍLIOS PARA FAZER BARULHO

O Campo Pequeno continua a ser palco dessa actividade mórbida e medieval: a tauromaquia. A imprensa, pela sua parte, continua também a pactuar com a incivilidade que ali se passa, promovendo-a e apoiando-a. Esta semana é a vez do jornal “Correio da Manhã”. A ANIMAL continua a cumprir a promessa que fez aquando da reabertura da “Catedral dos Horrores”: sempre que haja um evento tauromáquico, haverá um protesto, até ao dia do seu encerramento.



“Uma única pessoa que ofereça todo o seu tempo a promover a paz, faz notícia. Muitas pessoas, dando apenas algum do seu tempo, farão História.”

quarta-feira, 7 de Julho de 2010

Amanhã, "XII Grande Corrida TVI", no Campo Pequeno | Venha mais uma vez juntar-se à ANIMAL e contribuir com o seu protesto

Quinta-Feira, dia 8 de Julho, a Partir das 20h, no Campo Pequeno, em Lisboa


TVI continua a Promover e Transmitir a Vergonha do País


Por favor não falte a mais um protesto contra a tauromaquia, e, também, contra a TVI, canal de televisão que é assumidamente pró-tauromáquico.

Por favor venha vestida/o de branco. Este será um protesto silencioso.



“Nós não temos dois corações: um para os humanos e outro para os não-humanos. Na crueldade, a única diferença entre o primeiro e o segundo é a vítima” – Lamartine.



terça-feira, 6 de Julho de 2010

Em Plenas Fiestas de San Fermin, em Pamplona, activistas dos Direitos dos Animais Unem-se em Acção Dramática pelo Fim da Tauromaquia


Na manhã de Domingo, dia 4 de Julho, em Pamplona, cidade espanhola onde decorrem as mundialmente famosas Fiestas de San Fermin, defensores dos direitos dos animais, vindos de vários países da Europa e também dos EUA, apelaram ao fim da tauromaquia. Pintados da cor da pele dos touros e semi-despidos, formaram com os seus corpos, no chão, a silhueta de um destes animais, morto.


A Associação ANIMAL, de Portugal, marcou presença nesta emocionante acção, através da activista e Presidente da ANIMAL Rita Silva: “ É importante que as pessoas se perguntem qual a razão para se perpetuar algo tão bizarro e moralmente inaceitável como é a tauromaquia. É difícil acreditar como é possível que alguém se divirta com violência. Violência pura para com alguém que não escolheu participar em nada disto. Esta acção teve uma carga dramática muito forte, por tudo o que sabemos que acontece a estes animais, mas também por sabermos que nada poderemos fazer para impedi-lo no imediato”.


quarta-feira, 30 de Junho de 2010

Defensores dos Direitos dos Animais Põem-se na Pele dos Touros


Pelo 9.º ano consecutivo, será levada a cabo a maior acção de protesto do ano contra a tauromaquia; contra as fiestas de San Fermin, em Pamplona


No próximo Domingo, dia 4 de Julho, mais de uma centena de defensores dos direitos dos animais, vindos de várias partes do mundo, juntar-se-ão em Pamplona, no maior evento do ano, na luta pela abolição da tauromaquia: “Ponte en La Piel del Toro”. Esta acção é convocada e organizada pelas Organizações Internacionais de Defesa dos Animais AnimaNaturalis e PETA.

A ANIMAL participará neste evento, à semelhança do que aconteceu durante vários anos seguidos (incluindo, no primeiro ano em que se organizou “A Corrida Humana” em Pamplona). Segundo Rita Silva, Presidente da ANIMAL, “A ANIMAL regressa agora em 2010 aos protestos de Pamplona, oferecendo todo o seu apoio a esta acção, colocando Portugal, mais uma vez, no mapa dos protestos internacionais contra a tauromaquia. É mais do que tempo dos países que ainda mantém estas tradições medievais se modernizarem, mostrando que vivem no presente, preparando o futuro, e deixando as tradições que nos envergonham, pela sua falta de compassividade, no passado. As más práticas são para fazer parte da História, como algo a não repetir, não são para perpetuar.”

“Não há uma única razão para se continuarem a torturar animais, por isso irei a Pamplona em nome da ANIMAL pôr-me na pele do touro”, acrescenta.

Este protesto terá lugar na Plaza del Ayuntamento de Pamplona, onde os activistas (incluindo a activista portuguesa Rita Silva), semi-nus, e com os corpos pintados da cor da pele dos touros, permanecerão caídos, representando a agonia e a indignidade por que passam os touros, aquando da sua morte. A imagem aérea que o conjunto dos corpos traduzirá, pela forma como estes estarão dispostos, será precisamente a do corpo de um touro morto, em tamanho gigante.

Enquanto esta manifestação de solidariedade para com os touros sucede, estarão, noutro local da cidade, vários animais encurralados, sem saberem o que lhes vai suceder, aguardando pelo triste destino que alguém escolheu para eles: serão perseguidos e brutalizados durante as mundialmente famosas largadas de Pamplona, para depois, chegando exaustos à Praça de Touros, onde serão torturados, serem brutalmente mortos.













segunda-feira, 28 de Junho de 2010

Acompanhe a ANIMAL em mais um protesto contra as malditas touradas | Quinta-Feira, 1 de Julho, a partir das 20h, no Campo Pequeno

Quinta-Feira, dia 1 de Julho, a Partir das 20h, no Campo Pequeno, em Lisboa


Traga Buzinas, Apitos, ou outro utensílio sonoro e Junte-se à ANIMAL em Mais um Protesto Contra a Vergonhosa Tauromaquia


“Há alturas em que somos impotentes perante uma injustiça, mas nunca deve haver uma altura em que deixamos de protestar contra ela.” ~ Elie Wiesel







terça-feira, 15 de Junho de 2010

Nesta 5.ª Feira, a partir das 20h, não deixe de acompanhar a ANIMAL em mais um ruidoso protesto contra as Touradas‏


Quinta-Feira, dia 17 de Junho, a Partir das 20h, no Campo Pequeno, em Lisboa

Traga os Seus Próprios Utensílios ou Utilize os que a ANIMAL Disponibiliza, e Venha Fazer-se Ouvir Pelos Animais Vítimas da Tauromaquia


“Os animais só nos têm a nós; não lhes falharemos” ~ Barry Horne



terça-feira, 1 de Junho de 2010

Dia 2, Quarta-Feira, a partir das 20h e até às 23h, no Campo Pequeno


Este protesto será silencioso. Pedimos às/aos manifestantes para irem vestidas/os de negro (ou de uma côr escura, caso não tenham roupa preta).

PARTICIPE E DIVULGUE! CASO NÃO POSSA ESTAR PRESENTE DURANTE TODO O TEMPO DO PROTESTO, ESTEJA APENAS O TEMPO QUE PUDER.

“No confronto entre a corrente e a rocha, a corrente ganha sempre - não pela força, mas pela perserverança.”  H. Jackson Brown



quinta-feira, 27 de Maio de 2010

Sábado e Domingo, 29 e 30 de Maio | NÃO FALTE aos Protestos da ANIMAL no Campo Pequeno, em Lisboa | Participe e Divulgue!‏


Dia 29, Sábado, entre as 15h e as 18h, no Campo Pequeno

Venha Protestar Contra Mais Um Cruel Evento Tauromáquico que Pode conhecer melhor aqui:

Traga todos os utensílios que puder para fazer barulho. Se as/os torturadoras/es pensam que podem passear-se alegremente enquanto se preparam (e depois o fazem) para brutalizarem animais sem sofrerem contestação, enganam-se. Estaremos ali a lembrá-los de que os animais têm defensoras/es e de que estas/es incomodam, e não é pouco.

Dia 30, Domingo, entre as 15h e as 17h, no Campo Pequeno

Foi ontem marcada uma Garraiada para este dia, razão essa pela qual a ANIMAL está apenas agora a convocar esta acção. Saiba mais acerca da referida garraiada aqui:

Este protesto será silencioso.

“Ninguém tem o direito de ficar quieto a desesperar; há demasiado trabalho para fazer.” Dorothy Day



quarta-feira, 26 de Maio de 2010

Activistas da ANIMAL Encarnam A Pele Dos Touros Barbarizados Nas Touradas







Na passada quinta-feira, 20 de Maio, e em mais um protesto contra a realização de touradas na capital de Portugal, três activistas da ANIMAL dispuseram-se a simbolizar aquilo por que os touros passam durante o miserável espectáculo, enquanto uma centena de outras/os activistas se mantiveram em silêncio, empunhando cartazes com slogans contra as touradas e pela defesa dos direitos dos animais. Esta forma de sensibilização da comunidade, que é ao mesmo tempo uma acção de protesto contra o horror que é a tauromaquia, é tão importante quanto o trabalho político, judicial ou outros que possam ser levados a cabo pela ANIMAL. Agradecemos, portanto, a cada activista que se dispõe a participar e apoiar estas acções, não duvidando da sua importância. O seu contributo tem um valor inestimável.

Importa deixar claro que, seja no âmbito das acções da ANIMAL, no contexto das actividades de qualquer outra organização ou partindo apenas da sua directa iniciativa pessoal, algo de que os animais desesperadamente precisam é que fale por eles, que ajude a representá-los, a denunciar os males que os afectam, a apontar as razões que fazem com que esses males não sejam aceitáveis e a apresentar as soluções e alternativas para esses problemas. Desde o activismo na Internet, participando em protestos por e-mail e lançando, divulgando e participando em petições electrónicas válidas, ao activismo de rua, através da distribuição de panfletos, da organização e/ou participação em acções de protesto e alerta, da promoção de bancas informativas em lugares públicos, das acções de educação em escolas, das palestras em salas de acesso público, etc., todas estas são formas fundamentais de activismo, integradas no melhor modelo de participação cívica que as grandes causas éticas exigem e têm apresentado – como acontece na defesa dos direitos humanos e cívicos, por exemplo.

Importa também salientar que, enquanto muitas vezes, por motivos estratégicos, a ANIMAL tem que focar os seus esforços, em apenas uma ou duas campanhas centrais, e, dentro destas, tem que ir promovendo as suas diferentes fases e tudo o que estas implicam, haverá outro tipo de iniciativas, relativas a questões fora do âmbito destas mesmas campanhas, que não conseguiremos desenvolver. Nestes casos, a ANIMAL espera que, quem sinta a motivação para levar a cabo alguma iniciativa que tenha por fim beneficiar animais (e que não possa, nesse momento, ser desencadeada pela ANIMAL), chame a si mesmo esse trabalho e que avance com essa mesma iniciativa – se decidir fazê-lo, por favor contacte a ANIMAL, pois gostaremos de saber dessa iniciativa e, eventualmente, ajudar a que se concretize: info@animal.org.pt .





segunda-feira, 10 de Maio de 2010

Nos dias 20 e 29 de Maio não falte aos protestos da ANIMAL | Participe e Divulgue!


Dia 20, Quinta-Feira, entre as 20h e as 22h30m, no Campo Pequeno

Venha Vestida/o de Negro Protestar Contra mais uma Imoral Tourada no Campo Pequeno

Várias/os activistas estarão, durante todo o tempo do protesto, a encarnar a pele dos touros que serão barbarizados dentro da “Catedral dos Horrores”. Enquanto isso, as/os restantes participantes, vestidas/os de negro, estarão em silêncio a manifestar-se contra todo aquele horror.


Dia 29, Sábado, entre as 15h e as 18h, no Campo Pequeno

Venha Protestar Contra Mais Um Cruel Evento Tauromáquico que Pode conhecer melhor aqui:

Traga todos os utensílios que puder para fazer barulho. Se as/os torturadoras/es pensam que podem passear-se alegremente enquanto se preparam (e depois o fazem) para brutalizarem animais sem sofrerem contestação, enganam-se. Estaremos ali a lembrá-los de que os animais têm defensoras/es e de que estas/es incomodam, e não é pouco.

«A injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em todos os lugares.» -- Martin Luther King Jr.







terça-feira, 4 de Maio de 2010

A ANIMAL Volta à Póvoa de Varzim para Protestar Mais Uma Vez Contra a Vergonhosa Garraiada Académica


Dia 9 de Maio, Domingo, entre as 14h30h e as 16h30m, em frente à Praça de Touros da Póvoa de Varzim

“Sou apenas uma, mas pelo menos sou uma. Não posso fazer tudo mas posso fazer algo; E não é porque não posso fazer tudo que vou recusar-me a fazer aquilo que posso fazer.” ~ Helen Keller.

Algumas pessoas insistem em acreditar que uma garraiada não é um evento cruel e indigno para os animais, mas esta crença é falsa, senão vejamos:
De acordo com o Decreto Regulamentar n.º 62/91, de 29 de Novembro, também designado por Regulamento do Espectáculo Tauromáquico, uma garraiada é uma variedade tauromáquica onde são lidados - quer por cavaleiros praticantes, quer por amadores - *garraios*. Ora, um *garraio* é um touro entre os dois e os três anos de idade (chamam-lhe vitelo desde que nasce até deixar de mamar, dessa altura e até aos dois anos de idade chamam-lhe bezerro, entre os dois e os três anos é chamado de garraio, entre os três e os quatro novilho, e depois touro), e se uma tourada já é um evento traumático para um animal adulto, mais será para um ainda jovem. Nas garraiadas, a dada altura, é comum uma série de estudantes saltarem para a arena e darem início ao que chamam “brincadeira” com o animal. A “brincadeira” passa por lhe puxarem o rabo, andarem com ele à roda, colocarem-se em cima dele, e por aí adiante. Estes e outros tipos de sevícias sucedem a um animal que não escolheu estar ali, não pertence ali, não faz ideia do que lhe está a acontecer, e só foi colocado nesta situação para divertir alguns daqueles que serão os decisores deste país num futuro próximo. Não é raro vermos estudantes ébrios a entrarem para as praças, o que faz com que a pouca-vergonha que ali se vai passar seja ainda mais descontrolada, e possa até culminar na morte do animal, como aconteceu há alguns anos com uma bezerra, que no meio de uma destas “brincadeiras”, foi morta por quebra de pescoço. Era a vida de uma jovem que a não pôde viver, apenas porque alguém de uma outra espécie precisou divertir-se e não encontrou outra forma menos doentia e primária para o fazer. É especialmente chocante que as camadas mais jovens da sociedade, que deviam também ser as mais modernas e desenvolvidas intelectual e civilizacionalmente, participem neste tipo de diversão tão ancestral e vergonhoso.

Não Deixe de Participar neste Protesto Contra Mais Uma Cruel Garraiada

Junte-se à ANIMAL, Vista-se de Negro e Venha Mostrar a sua Indignação

quarta-feira, 28 de Abril de 2010

Temporada de Protestos da ANIMAL no Campo Pequeno - Junte-se a nós!

Dia 6 de Maio, Quinta-Feira, entre as 20h e as 23h, em frente ao Campo Pequeno, Traga as suas Panelas, Buzinas, Apitos ou outros e venha protestar com a ANIMAL contra mais uma bárbara tourada

Chegou mais uma temporada tauromáquica na “Catedral dos Horrores”, vulgo Campo Pequeno, e, mais uma vez, tal como prometido, a ANIMAL voltará a marcar posição no local. Salvo raras excepções, desde que a Praça de Touros do Campo Pequeno reabriu, que a ANIMAL tem protestado presencialmente de cada vez que há uma tourada. Estes protestos ocorrem em Lisboa por uma razão simbólica; esta é a capital de Portugal, um país integrante da (assim chamada) Europa civilizada, mas que ainda mantém este tipo de evento cultural medieval. Protestar ali simboliza protestar contra as touradas no país inteiro. Esta é apenas uma das muitas actividades que compõem o trabalho de campanha da ANIMAL nesta área, mas não é menos importante.
Continuaremos a protestar in loco até que as touradas sejam proibidas, sejamos 1 ou 1 milhão de pessoas a fazê-lo.
Este ano teremos muitas novidades nas acções em frente ao Campo Pequeno, contudo, a primeira do ano será como “manda a tradição”: barulhenta. Traga os seus utensílios de cozinha, apitos, buzinas, ou outros, e venha protestar ruidosamente contra mais uma vergonhosa tortura de animais em Lisboa.

“Nunca duvide de que um pequeno grupo de cidadãos comprometidos e empenhados pode mudar o mundo; na verdade, é só isso que o tem mudado!” ~ Margaret Mead











segunda-feira, 26 de Abril de 2010

Sábado, 1 de Maio, entre as 13h e as 18h | Banca Informativa e de Angariação de Sócios e Apoiantes no Chiado|

Onde? Na Rua Garret, no Chiado
Quando? Sábado, dia 1 de Maio, entre as 13h e as 18h
O Quê? Banca Informativa da ANIMAL

Se Ainda Não é Sócia/o da ANIMAL e Gostaria de se Tornar, Por Favor Junte-se a Nós Neste Dia

Relembramos que a Banca Informativa da ANIMAL no Porto, acontece todos os sábados, entre as 10h30m e as 13h, na R. de Santa Catarina, junto à loja Zara











quarta-feira, 21 de Abril de 2010

Precisa de motivação para se tornar mais activa/o em defesa dos animais?

Não deixe de participar em acções de protesto pelos animais. O trabalho de activismo na rua é fundamental e complementa todo o restante trabalho da ANIMAL em defesa dos direitos de todos animais.
 
Se de alguma forma lhe servir de motivação para participar em acções futuras (nomeadamente na próxima acção de protesto, que é organizada pela POB www.pob.pt.vu, e acontecerá já no próximo sábado, dia 24), inspire-se nestes 11 vídeos da Marcha-Protesto do passado dia 10 de Abril:
 

A ANIMAL agradece ao apoiante Rúben Elias pelo envio de mais estes vídeos

segunda-feira, 19 de Abril de 2010

A ANIMAL Divulga

Sábado, 24 de Abril, compareça e faça parte do protesto contra a criação do "Biotério Central".

O local do início da Marcha é a rotunda do Saldanha, em Lisboa, e a hora é 14h30m.

Para mais informações visite o site do Grupo que organiza esta manifestação (Plataforma de Objecção ao Biotério) em http://www.pob.pt.vu/

sexta-feira, 16 de Abril de 2010

Actualização "Marcha-Protesto" e Breve Nota "Activismo Pelos Direitos dos Animais em Portugal"

A Marcha-Protesto em defesa dos animais, que teve lugar no passado sábado, dia 10 de Abril, e cuja concepção e organização estiveram a cargo da ANIMAL, pode contar com o importante apoio, divulgação e adesão de várias dezenas de Associações de Protecção dos Animais Nacionais, de Grupos formais e informais que se dedicam heroicamente ao apoio a animais individuais e/ou à Protecção dos Animais em geral, de cidadãs/ãos comuns, e, finalmente, de Organizações Internacionais de Defesa dos Animais. Este evento foi, o que até hoje, mais pessoas juntou pela Protecção dos Animais em Portugal, e, com esta adesão – que também se deveu às novas formas de comunicação on-line (as redes sociais) –, provou-se mais uma vez que a preocupação com os animais tem vindo a crescer em Portugal, e que, cada vez mais, as pessoas estão a combater a ideia de que “não vale a pena ir para a rua”.

Depois de ter sido feita a média das contagens efectuadas ao longo do percurso, chegou-se à conclusão de que muito perto de 4 mil pessoas haviam participado nesta manifestação. A maior parte dos órgãos de comunicação social divulgou que estariam mais de 300 pessoas a participar, e, muito embora tenhamos noção de que os números da imprensa raramente correspondem à realidade, a diferença neste caso era tanta, que decidimos pedir, ao abrigo do Direito de Resposta, a reposição dos números reais. Depois de vários contactos que os receptores deste pedido – a Imprensa – encetaram com a ANIMAL, de facto, percebeu-se que, o erro não havia sido da Agência Lusa, mas sim dos outros jornais que utilizaram o seu comunicado. O comunicado original desta agência noticiosa, ao qual a ANIMAL veio a ter acesso durante o dia de hoje, dizia que naquele momento (às 14h30m) estariam já no local da concentração mais de 300 pessoas, e que se esperava que, durante a tarde e até ao final do evento, o número chegasse aos milhares. Esta informação era verdadeira e factual, o problema criou-se quando os jornais a utilizaram e não tiveram o cuidado de a actualizar. Assim, a ANIMAL vem pedir desculpas à Agência Lusa por ter posto em causa a sua seriedade profissional, e continua a aguardar, da parte dos restantes órgãos de imprensa, a publicação dos números reais. Segundo a última informação que tivemos de um destes jornais, o caso terá já a sido encaminhado para o departamento correspondente. Veremos os outros e daremos mais notícias acerca deste assunto, assim se justifique.

Activismo

Ao longo dos anos de trabalho da ANIMAL tem-se conseguido provar que, em aliança ao trabalho de educação da população e a todo o trabalho não público que é feito (intervenção judicial, campanha e trabalho legislativo nacional e internacional, entre outros), os protestos/acções de rua têm um impacto muito importante na mudança do estado de coisas. Não são só os protestos grandes, com centenas ou milhares de pessoas, que são importantes. Todas as acções de rua desempenham um papel importante, e não devem ser menorizadas. Cada acção de rua tem um objectivo específico e a sua eficácia não depende sempre do número. No caso particular de uma marcha pela cidade é muito importante que se reúnam milhares de pessoas, e claro que só pode ser positivo que, por exemplo, um protesto semanal ou uma banca informativa reúnam muita gente, mas não significa que não se possam fazer e ter bons resultados com menos pessoas. Não é expectável que um protesto durante a semana tenha a mesma adesão do que um ao fim-de-semana. As acções são planeadas de acordo com a adesão que se prevê que tenham, e não se coadunaria com os propósitos da ANIMAL deixar de se marcar posição, apenas por ser um dia em que se espera pouca disponibilidade dos activistas.

Cada tomada de posição importa, e é por isso fundamental motivar a comunidade activista para ela própria se agrupar e organizar também acções dentro dos moldes que melhor lhe convierem. Assim aconteceu com dois grupos de activistas da ANIMAL, que se constituíram em grupos locais independentes - O CREA (Caldas da Rainha) e os Marinhenses Anti-Touradas (Marinha Grande). O mesmo sucedeu com uma activista individual de Setúbal que pediu a ajuda da ANIMAL para trabalhar para que Setúbal se torne uma cidade anti-touradas, e assim tem sucedido com algumas pessoas que, não se limitando apenas a criticar as acções em que não participam, elas próprias se mobilizam e actuam. Têm a inteligência e a humildade de pedir directrizes a quem tem mais experiência e ferramentas, e depois trabalham por si. Isso é ser sério. Isso é realmente querer trabalhar *pelos animais*, *pela causa*, não vendendo aquilo em que acreditam, não se limitando a dizer e fazer “qualquer coisa desde que seja por bem”, e, mantendo-se firmes perante todas as adversidades, sempre focadas no objectivo altruísta que as move. Isso é activismo!

A ANIMAL está e sempre esteve disponível para apoiar grupos e activistas individuais, sempre que possível e sempre que não haja um conflito ideológico, e reitera agora essa oferta de apoio. É também para isso que a ANIMAL tem sempre apostado muito na sua própria formação; para que possa ter cada vez mais e melhor capacidade de apoiar quem tenha essa vontade e disponibilidade, sempre com a *finalidade única* de prestar o melhor, mais limpo, e mais sério serviço possível aos animais.







terça-feira, 13 de Abril de 2010

A ANIMAL agradece a todas/os participantes na Marcha-Protesto do passado dia 10 de Abril pelo generoso apoio

Esta Marcha-Protesto - organizada pela ANIMAL -, contou com o apoio, divulgação e adesão de várias dezenas de Associações de Protecção dos Animais Nacionais, de Grupos informais que se dedicam ao apoio a animais individuais, de cidadãs/ãos comuns, e, finalmente, de Organizações Internacionais de Defesa dos Animais. A todas/os agradecemos pela presença, resistência e boa-vontade.

Ao todo, e depois de ser feita uma média das várias contagens efectuadas ao longo do percurso, éramos perto de 4 mil pessoas, e não as 300 que a Agência Noticiosa Lusa divulgou no seu comunicado, que veio a servir de fonte para vários outros órgãos de imprensa, que despudoradamente publicaram este número, sem sequer terem a preocupação de o confirmarem. É sabido que os números da Imprensa são sempre díspares da realidade, contudo, a diferença aqui é tão grande, que todos os presentes a sentem como um ultraje. Foi neste sentido que a ANIMAL, ao abrigo do “Direito de Resposta”, pediu a reposição da verdade à Comunicação Social, e espera, assim, que os portugueses possam ler em breve a informação certa.


Fotos e Vídeos:

Media
Imprensa Escrita

Televisões

quinta-feira, 8 de Abril de 2010

Amanhã! 14h, Campo Pequeno! NÃO FALTE!

Quando? Sábado, 10 de Abril a partir das 14h.
Onde? Campo Pequeno, Lisboa.
O Quê? Marcha-Protesto Pela Defesa dos Animais e Contra as Touradas
Como? No local, pouco antes de arrancar a marcha serão dadas indicações específicas acerca do que se vai passar durante a mesma. Todas/os participantes são convidadas/os a trazer as suas próprias faixas e/ou sinais. Não importa se são "caseiros", o que importa é que passem a mensagem de forma correcta.

Junte-se a muitas/os Cidadãs/os, Grupos e Associações de Protecção dos Animais, Portugueses e Estrangeiros e venha tomar posição em defesa de quem não se pode defender a si própria/o.

domingo, 4 de Abril de 2010

Comunicado da ANIMAL

A Associação ANIMAL, enquanto única entidade organizadora da Marcha-Protesto agendada para o próximo dia 10 de Abril, vem, por este meio, e em resposta a várias indicações que recebeu por parte de varas pessoas diferentes, informar todas/os as/os cidadãs/aos e Grupos de Protecção dos Animais (formais ou informais) interessadas/os em oferecer aos animais a sua participação neste evento, de que não serão admitidos insultos escritos e/ou falados, nem outras mensagens insultuosas. É natural e compreensível que estejamos frustrados e revoltados pelos horrores que ainda se passam, e de forma muitas vezes legal, neste país, todavia, é fundamental que, enquanto manifestantes nos comportemos impecavelmente, para que possamos ser sempre, e cada vez mais, levadas/os a sério aquando do trabalho com os organismos políticos/administrativos. Não é aceitável que num dia estejamos a pedir aos responsáveis políticos que considerem os nossos pedidos de alteração legislativa, e no outro a insultar em público as/os agentes do Governo e/ou do Parlamento. Institucionalmente, esta não é a forma mais eficaz de servir os animais de Portugal. Individualmente, cada pessoa agirá como entender, claro, e qualquer pessoa ou grupo de pessoas tem o direito a organizar uma manifestação em qualquer altura, com os contornos que desejar, e onde poderá fazer o que decidir fazer. Essa pessoa ou grupo será/serão responsável/responsáveis pelas consequências do que quer que se passe sob o seu nome, e terá que lidar com estas.

Posto isto, e tendo em consideração que, oficialmente, a entidade que organiza determinado evento é responsável por tudo o que o envolve, incluindo aquilo que nele é dito e feito, e, sendo que neste caso concreto este papel cabe à ANIMAL, apelamos a que se sigam as directrizes da organização, a fim de se alcançar o objectivo pretendido, sem incidentes. Cremos que desta forma o complexo trabalho que tem sido, é, e será feito pelos animais, não sairá prejudicado.

Gostaríamos de esclarecer que não se trata de nenhuma luta por protagonismo, acusação muito comum, embora injusta e descabida; a única luta da ANIMAL é pelos Direitos dos Animais, feita de forma rigorosa, séria e profissional, pretendendo ser eficaz. A questão trazida hoje centra-se na eficácia do evento, e em reduzir todas as eventuais fontes de problemas, potenciando assim o sucesso da transmissão da mensagem em causa. Quanto menos confusão houver no mecanismo antes e durante a marcha-protesto, e mais práticas forem a sua gestão e composição, maior será o seu êxito, e, consequentemente, melhor atingido o propósito de obter mais e melhor protecção para os animais. Compreendemos bem o que sentem todas as pessoas que já não aguentam mais ver o estado da Protecção dos Animais neste país, e a urgência que têm em fazer algo. Não só a compreendemos, mas também a partilhamos, contudo, é da máxima importância que esse “algo” faça sentido, tenha “cabeça, tronco e membros”, um objectivo concreto, e, principalmente, que este seja realista e atingível. Infelizmente, e quem nos dera que fosse diferente, não ajuda animal algum perdermos energia, tempo e recursos (que todas/os sabemos quão escassos são) em iniciativas que sabemos, à partida, que não poderão realisticamente obter qualquer resultado. Acabam por ser oportunidades perdidas, e que talvez demorem muito tempo a repetir-se. É por estas razões que a ANIMAL tem feito questão de, ao longo dos seus 16 anos de trabalho e experiência (que incluem muitas quedas e falhanços e não só vitórias e sucessos), construir uma base de rigor e profissionalismo, que, muitas vezes, e muito lamentavelmente, não é bem interpretada pelos seus congéneres nacionais. A verdade é que este trabalho (amado ou odiado) visa sempre oferecer o melhor serviço possível aos animais, tendo-o apenas como único objectivo. No dia em que a ANIMAL não servir apenas os interesses dos animais, extinguir-se-á.


Desde o anúncio desta marcha-protesto que a ANIMAL tem feito questão de referir, e repete, que todas/os os grupos, associações e cidadãs/os que queiram participar e trazer os seus próprios materiais, são muito bem-vindas/os. O facto de convocarmos o início da concentração para as 14h, tendo o início da marcha marcação apenas para as 15h30m, prevê exactamente a possibilidade das/os activistas individuais e grupos se conhecerem e poderem ali conviver amigavelmente, trocando experiências e saberes.

A ANIMAL vem assim, solicitar uma vez mais, a todas/os interessadas/os em estarem presentes neste dia tão importante, o favor de atentarem nos seguintes pedidos:

- Por favor não ostentem mensagens ofensivas:

- Por favor não tragam animais para este protesto. Devido a todos os contornos e variáveis de um evento destes, não é o local apropriado para elas/eles estarem;

- Por favor tenham em consideração o carácter ordeiro desta marcha-protesto;

Somos muito gratas/os pela vossa participação neste dia, e pelo eventual apoio que possam dar, ou continuar a dar, à ANIMAL, continuando a tornar o nosso trabalho possível. A ANIMAL existe devido à generosidade dos sócios e contribuintes, que abnegadamente partilham o seu património com esta, e que compreendem a importância de ajudar a organização, para que ela possa, da forma mais eficaz possível, continuar e melhorar o seu serviço aos animais.

Muito obrigada pela confiança depositada na ANIMAL.

P’la ANIMAL,

Pelos Animais,

Rita Silva

Presidente da Direcção